SÁBADOS NO CASTELO – PESSOAS DO LADO DE LÁ

O circo cruza-se com a música e a dança do Brasil e da Argentina, num constante diálogo entre diferentes culturas.
Da Argentina vem o tango – sinónimo de paixão, melancolia e tristeza!
Do Brasil vem o Samba – símbolo da identidade do povo brasileiro, a originalidade do seu ritmo, a essência e a alegria deste povo.
O Circo leva-nos numa viagem por estas culturas da música e da dança reportando-nos para um universo dinâmico, atual e de linguagem universal. Lisboa celebra outras culturas e outros povos!

SÁBADOS NO CASTELO – PESSOAS DO LADO DE LÁ
5, 12, 19 e 26 AGO | 19H
todas as idades | bilhete Castelo de S. Jorge
ARTES PERFORMATIVAS
CHAPITÔ

seculo_xv_com_a_arte_de_gil_vicente

DANÇAS COM HISTÓRIA – DANÇAS DO TEMPO DE D. MANUEL I

Depois do começo, o apogeu. As velas portuguesas alcançaram a Índia e o Brasil, navegaram pelo Atlântico, pelo Índico e pelo Pacífico; padrões foram semeados nas costas de África e da América. Foi nesse final do século XV e início do século XVI que Portugal dominou o medo e o mar, esse Mare Nostrum em que tantos ficaram para sempre.
As melodias e as danças deste período de glória, no qual todos os sonhos pareciam ao alcance de um mero passo de dança e o futuro parecia sorrir a Portugal. Foi o tempo do Gama e de Cabral…

Estão em voga as Pavanas e Galhardas, as Spanholetas e as Cascardas. São danças de pares e de trios com complexas coreografias, sabiamente descritas nos tratados de T. Arbeau, Orquesographia e no Tratado Il Ballerino de Fabrizio Caroso I.ª ed. 1590.

DANÇAS COM HISTÓRIA | DANÇAS DO TEMPO DE D. MANUEL I
19 FEV | 20 AGO | 19 NOV
11H | M/5 | bilhete Castelo S. Jorge
ASSOCIAÇÃO DANÇAS COM HISTÓRIA

SÁBADOS NO CASTELO – PESSOAS DO LADO DE LÁ

O circo cruza-se com a música e a dança do Brasil e da Argentina, num constante diálogo entre diferentes culturas.
Da Argentina vem o tango – sinónimo de paixão, melancolia e tristeza!
Do Brasil vem o Samba – símbolo da identidade do povo brasileiro, a originalidade do seu ritmo, a essência e a alegria deste povo.
O Circo leva-nos numa viagem por estas culturas da música e da dança reportando-nos para um universo dinâmico, atual e de linguagem universal. Lisboa celebra outras culturas e outros povos!

SÁBADOS NO CASTELO – PESSOAS DO LADO DE LÁ
5, 12, 19 e 26 AGO | 19H
todas as idades | bilhete Castelo de S. Jorge
ARTES PERFORMATIVAS
CHAPITÔ

ASC_7867 Cast S Jorge

VISITAS EM FAMÍLIA – O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE

Visita de exploração do castelo e da alcáçova medieval e da sua relação com a cidade propriamente dita, numa abordagem das estruturas defensivas da cidade medieva do século XI-XII, assim como dos aspetos sociais, religiosos e económicos da época, tendo por base o cenário encontrado pelo contingente militar cristão liderado por Afonso Henriques que, após um longo cerco de aproximadamente quatro meses, entra na cidade em 25 de Outubro de 1147, hasteando o estandarte da cristandade.

VISITAS EM FAMÍLIA | O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE
26 FEV | 27 AGO
11H | M/6 | 3,5 €
INSCRIÇÃO PRÉVIA | [email protected] | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE

SÁBADOS NO CASTELO – AFONSO HENRIQUES

Este é um retrato do nosso primeiro rei com suas glórias e vicissitudes, com suas conquistas e suas derrotas. O retrato de uma criança que herda um pedaço de terra lá para os lados de Astorga, de um adolescente que aprisiona a mãe, de um guerreiro que mata e que saqueia e que se zanga com o Papa, de um conquistador temível que em nome do reino de Deus ataca sempre de surpresa, de um velho friorento que se liberta das mãos dos castelhanos e morre aprisionado nas memórias e nas imagens de todos nós.

SÁBADOS NO CASTELO – AFONSO HENRIQUES
2, 9, 16, 23 e 30 SET | 19H
M/6 | 50m sem intervalo | bilhete Castelo de S. Jorge

TEATRO

a partir de um poema épico de tradição oral e de crónicas da idade média

dramaturgia, encenação e espaço cénico JOÃO BRITES
música ARRANJO MUSICAL A PARTIR DE RECOLHA DE MÚSICA TRADICIONAL PORTUGUESA
oralidade TERESA LIMA
figurinos CLARA BENTO
adereços ISABEL CARRETAS, CLARA BENTO e FÁTIMA SANTOS
desenho de luz JOÃO CACHULO
com GUILHERME NORONHA, JOÃO NECA, MIGUEL JESUS, RITA BRITO e SARA DE CASTRO

criação TEATRO O BANDO
coprodução TEATRO NACIONAL D. MARIA II

DSCF9066

(Português) JOGOS EM FAMÍLIA

Arautos da Brincadeira, D. Berengário e D. Segismundo, só descansam quando todos participarem nas brincadeiras e jogos de outros tempos que prepararam: o quebra-bilhas, a vara-cega, a torre do tesouro, entre outras brincadeiras e surpresas.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | JOGOS EM FAMÍLIA
5 FEV | 5 MAR | 2 ABR | 7 MAI | 4 JUN | 2 JUL | 6 AGO | 3 SET | 1 OUT | 5 NOV | 3 DEZ
11H | M/5 | 3,5 €
INSCRIÇÃO PRÉVIA | [email protected] | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE

SÁBADOS NO CASTELO – AFONSO HENRIQUES

Este é um retrato do nosso primeiro rei com suas glórias e vicissitudes, com suas conquistas e suas derrotas. O retrato de uma criança que herda um pedaço de terra lá para os lados de Astorga, de um adolescente que aprisiona a mãe, de um guerreiro que mata e que saqueia e que se zanga com o Papa, de um conquistador temível que em nome do reino de Deus ataca sempre de surpresa, de um velho friorento que se liberta das mãos dos castelhanos e morre aprisionado nas memórias e nas imagens de todos nós.

SÁBADOS NO CASTELO – AFONSO HENRIQUES
2, 9, 16, 23 e 30 SET | 19H
M/6 | 50m sem intervalo | bilhete Castelo de S. Jorge

TEATRO

a partir de um poema épico de tradição oral e de crónicas da idade média

dramaturgia, encenação e espaço cénico JOÃO BRITES
música ARRANJO MUSICAL A PARTIR DE RECOLHA DE MÚSICA TRADICIONAL PORTUGUESA
oralidade TERESA LIMA
figurinos CLARA BENTO
adereços ISABEL CARRETAS, CLARA BENTO e FÁTIMA SANTOS
desenho de luz JOÃO CACHULO
com GUILHERME NORONHA, JOÃO NECA, MIGUEL JESUS, RITA BRITO e SARA DE CASTRO

criação TEATRO O BANDO
coprodução TEATRO NACIONAL D. MARIA II

arqueiros_besteiros_arcabuzeiros

ARTES BÉLICAS – BATALHA DE TORO (1476)

- Portugal e Aragão envolvem-se na Guerra Civil Castelhana

As ingerências nos assuntos internos dos outros Reinos, nomeadamente nas sucessões dinásticas, eram uma ocupação favorita das casas reais Ibéricas.

Com a morte de Henrique VII criam-se duas fações e o impasse resultante só pode ser resolvido através das forças das armas, mergulhando Castela numa guerra civil. Cada lado reúne os seus apoios, com os reinos de Portugal e Aragão em lados diferentes do conflito. A batalha é longa, renhida e confusa, entrando pela noite dentro. As forças de D. Afonso V sofrem pesadas baixas e colapsam mas a ala do Infante D. João II (o futuro “Príncipe Perfeito”) assegura o domínio do campo de batalha.

Tanto do lado castelhano como do português, os “espingardeiros” destacam-se pela sua capacidade de rechaçar a cavalaria inimiga e infligir perdas pesadas entre a nobreza.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | ARTES BÉLICAS
SÉCULO XV – BATALHA DE TORO (1476)
12 MAR | 11 JUN | 10 SET | 10 DEZ
11h00 | TODAS AS IDADES | Bilhete Castelo de S. Jorge
OFÍCIO BÉLICO

SÁBADOS NO CASTELO – AFONSO HENRIQUES

Este é um retrato do nosso primeiro rei com suas glórias e vicissitudes, com suas conquistas e suas derrotas. O retrato de uma criança que herda um pedaço de terra lá para os lados de Astorga, de um adolescente que aprisiona a mãe, de um guerreiro que mata e que saqueia e que se zanga com o Papa, de um conquistador temível que em nome do reino de Deus ataca sempre de surpresa, de um velho friorento que se liberta das mãos dos castelhanos e morre aprisionado nas memórias e nas imagens de todos nós.

SÁBADOS NO CASTELO – AFONSO HENRIQUES
2, 9, 16, 23 e 30 SET | 19H
M/6 | 50m sem intervalo | bilhete Castelo de S. Jorge

TEATRO

a partir de um poema épico de tradição oral e de crónicas da idade média

dramaturgia, encenação e espaço cénico JOÃO BRITES
música ARRANJO MUSICAL A PARTIR DE RECOLHA DE MÚSICA TRADICIONAL PORTUGUESA
oralidade TERESA LIMA
figurinos CLARA BENTO
adereços ISABEL CARRETAS, CLARA BENTO e FÁTIMA SANTOS
desenho de luz JOÃO CACHULO
com GUILHERME NORONHA, JOÃO NECA, MIGUEL JESUS, RITA BRITO e SARA DE CASTRO

criação TEATRO O BANDO
coprodução TEATRO NACIONAL D. MARIA II

(Português) RITUAL ALMENARA

(Português) A designação Almenara remete para o episódio descrito por Fernão Lopes, na crónica de D. João I, no contexto da revolução de 1383/85 quando o Mestre de Avis está cercado em Lisboa pelos castelhanos e Nuno Álvares Pereira acende uma almenara no Castelo de Palmela como forma de comunicação com o Castelo de Lisboa.

O espetáculo Ritual Almenara pretende celebrar um grande evento através da música, da voz, das artes performativas e da multimédia de modo a consolidar a valorização do património histórico numa criação artística contemporânea de luz e som entre o castelo de Palmela e o castelo de S. Jorge, afirmando a história, a identidade, o património e a cultura das duas cidades e dos seus territórios.

O Almenara é um programa de ação desenvolvido em parceria pelo Município de Palmela e pelo Município de Lisboa com base em atividades comuns e outras específicas para cada território/Castelo numa lógica de ligação da Cidade/Região das duas margens.

RITUAL ALMENARA
a partir do episódio histórico de 1383/85 escrito por Fernão Lopes na crónica de D. João I

16 SET | 21H30 | todas as idades | entrada gratuita

TEATRO DE ARENA

direção artística João Brites e Jorge Gomes Ribeiro
produção Câmara Municipal de Palmela e EGEAC / Castelo de S. Jorge

TEATRO O BANDO e COMPANHIA DA ESQUINA

1 2
..