ARTES BÉLICAS – BATALHA DE TORO (1476)

- Portugal e Aragão envolvem-se na Guerra Civil Castelhana

As ingerências nos assuntos internos dos outros Reinos, nomeadamente nas sucessões dinásticas, eram uma ocupação favorita das casas reais Ibéricas.

Com a morte de Henrique VII criam-se duas fações e o impasse resultante só pode ser resolvido através das forças das armas, mergulhando Castela numa guerra civil. Cada lado reúne os seus apoios, com os reinos de Portugal e Aragão em lados diferentes do conflito. A batalha é longa, renhida e confusa, entrando pela noite dentro. As forças de D. Afonso V sofrem pesadas baixas e colapsam mas a ala do Infante D. João II (o futuro “Príncipe Perfeito”) assegura o domínio do campo de batalha.

Tanto do lado castelhano como do português, os “espingardeiros” destacam-se pela sua capacidade de rechaçar a cavalaria inimiga e infligir perdas pesadas entre a nobreza.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | ARTES BÉLICAS
SÉCULO XV – BATALHA DE TORO (1476)
12 MAR | 11 JUN | 10 SET | 10 DEZ
11h00 | TODAS AS IDADES | Bilhete Castelo de S. Jorge
OFÍCIO BÉLICO

..