seculo_XVII (800x531)

DANÇAS E MÚSICAS NO PAÇO – SÉCULO XVII

DOMINGOS EM FAMÍLIA | DANÇAS E MÚSICAS NO PAÇO
POESIA E DANÇA – SÉCULOS XV A XVII
A voz e o corpo. O som e o movimento.
11.00 | M/5 | bilhete Castelo S. Jorge
ASSOCIAÇÃO DANÇAS COM HISTÓRIA E DOLCIMELLO

No princípio era o verbo. Depois veio o corpo. A palavra e o gesto. E assim se fez a dança. Impossível separar aquilo que a Natureza uniu. A Associação Danças com História e Dolcimello trazem ao Castelo de S. Jorge um conjunto de danças históricas assentes no que de melhor a nossa literatura produziu nos séculos XV, XVI e XVII…

SÉCULO XVII
15 SET | 20 OUT | 17 NOV | 15 DEZ
Decai o império, a independência corre perigo, mas não a língua portuguesa. Essa não, mantem-se livre, alheia a ameaças e a perigos. O português de seiscentos aprimora-se, torna-se eloquente e atavia-se de acordo com os cânones abarrocados do seu tempo. Sedimentada pelo mundo fora, estabelecida já nas Áfricas, no Oriente e nas Américas, o idioma revive e expande-se na palavra de Vieira, na retórica de Rodrigues Lobo e nas peças de Francisco Manoel de Melo.

Quanto à dança, ganha novos contornos e movimentos, que a arte de dançar progride sempre, imparável, desta vez associada às nações e às cortes com quem Portugal se associa, como é o caso da Inglaterra. Essa Inglaterra para onde segue Catarina de Bragança e que, como Portugal, inicia o seu período pós-Restauração. Alheias a crises e a conflitos, a poesia e a dança seguem sempre. Livres e associadas.

Eis pois, a palavra e a dança do século XVII acompanhadas pela flauta, o cravo/virginal e percussão.

113

(Português) OS MERCADORES DE HISTÓRIAS

(Português) Amável e gracioso público, somos viajantes em terras de tempos muy antigos, alguns já nem lembrados, outros já esquecidos. Somos mercadores que foram recolhendo histórias dos lugares por onde passámos. Atentai nos vários objetos que nos acompanham, pois que cada um deles vende uma história… E, para vosso gáudio, eis que ali nos tornamos contadores de histórias! Histórias que contam outras histórias… como aquela que aconteceu ao pobre ferreiro da vila, aquando do Cerco de Lisboa. Ou do nascimento do pequeno Edmundo, enquanto também nascia a lenda de Martim Moniz. Vinde, pois muito temos para contar!

DIAS COM HISTÓRIA | OS MERCADORES DE HISTÓRIAS
25 OUTUBRO | 10.30, 14.30, 18.00 | Porta do Martim Moniz
DIA DA TOMADA DE LISBOA

direção ROGÉRIO PAULO
criação e interpretação MARGARIDA BARATA, NUNO PONTES E ROGÉRIO PAULO
produção RESTO DE NADA – ASSOCIAÇÃO CULTURAL

RESTO DE NADA – ASSOCIAÇÃO CULTURAL

visitas em familia

O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE

Descobrir o castelo e a alcáçova medieval e a sua relação com a cidade propriamente dita, numa abordagem das estruturas defensivas da cidade medieva do século XI-XII, assim como dos aspetos sociais, religiosos e económicos da época, tendo por base o cenário encontrado pelo contingente militar cristão liderado por Afonso Henriques que, após um longo cerco de aproximadamente quatro meses, entra na cidade em 25 de Outubro de 1147, hasteando o estandarte da cristandade.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | VISITAS EM FAMÍLIA
O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE
27 JAN | 24 FEV | 24 MAR | 28 ABR | 26 MAI | 23 JUN | 28 JUL | 25 AGO | 22 SET | 27 OUT | 24 NOV | 22 DEZ
11.00 | M/6 | 3,50 €
INSCRIÇÃO PRÉVIA | info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE

VESTÍGIOS DO ANTIGO PAÇO REAL DA ALCÁÇOVA

ANTES DO CASTELO

A história e a arqueologia dos períodos anteriores à construção do Castelo: das culturas que chegaram à cidade de Lisboa entre os séculos VIII e III a.C. e do impacto que tiveram no comércio, no urbanismo e na cultura material da época. Dos vestígios da passagem do exército romano republicano por Olisipo, no século II a.C., e de como essa presença se transformou mais tarde numa cidade romana imperial até à chegada dos Visigodos no século V.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | VISITAS EM FAMÍLIA
ANTES DO CASTELO
6 JAN | 3 FEV | 3 MAR | 7 ABR | 5 MAI | 2 JUN | 7 JUL | 4 AGO | 1 SET | 6 OUT | 3 NOV | 1 DEZ
11.00 | M/6 | bilhete Castelo S. Jorge
INSCRIÇÃO PRÉVIA | info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE

arqueiros_besteiros_arcabuzeiros

HISTÓRIAS DOS CERCOS DE LISBOA

Quer o cerco de 1147, quer o cerco de 1384 são marcos fundamentais na história do Castelo de S. Jorge. Nestas apresentações propomos mostrar para além dos equipamentos e formas de combater nos séculos XII e XIV, a constituição do cerco com auxílio de um conjunto de mapas e maquetes que permitirão ao visitante “ver” a implantação da Cerca Velha e da Cerca Fernandina.
Este programa irá igualmente permitir aferir a recetividade do público ao uso de tecnologias interativas aplicadas à recriação histórica. Nomeadamente ao uso de realidade aumentada para recriar quer o Castelejo quer ambas as cercas.
Será explicado ao público os locais de acampamento das várias forças, bem como que táticas foram utilizadas por sitiantes e sitiados, como se equipavam, como combatiam etc.
No final poderão ver a implantação de ambas as cercas no que é a planta de Lisboa hoje em dia.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | ARTES BÉLICAS
HISTÓRIAS DOS CERCOS DE LISBOA
8 SET | 13 OUT | 10 NOV | 8 DEZ
11.00 | M/5 | bilhete Castelo S. Jorge
OFÍCIO BÉLICO

seculo_XVII (800x531)

DANÇAS E MÚSICAS NO PAÇO – SÉCULO XVII

DOMINGOS EM FAMÍLIA | DANÇAS E MÚSICAS NO PAÇO
POESIA E DANÇA – SÉCULOS XV A XVII
A voz e o corpo. O som e o movimento.
11.00 | M/5 | bilhete Castelo S. Jorge
ASSOCIAÇÃO DANÇAS COM HISTÓRIA E DOLCIMELLO

No princípio era o verbo. Depois veio o corpo. A palavra e o gesto. E assim se fez a dança. Impossível separar aquilo que a Natureza uniu. A Associação Danças com História e Dolcimello trazem ao Castelo de S. Jorge um conjunto de danças históricas assentes no que de melhor a nossa literatura produziu nos séculos XV, XVI e XVII…

SÉCULO XVII
15 SET | 20 OUT | 17 NOV | 15 DEZ
Decai o império, a independência corre perigo, mas não a língua portuguesa. Essa não, mantem-se livre, alheia a ameaças e a perigos. O português de seiscentos aprimora-se, torna-se eloquente e atavia-se de acordo com os cânones abarrocados do seu tempo. Sedimentada pelo mundo fora, estabelecida já nas Áfricas, no Oriente e nas Américas, o idioma revive e expande-se na palavra de Vieira, na retórica de Rodrigues Lobo e nas peças de Francisco Manoel de Melo.

Quanto à dança, ganha novos contornos e movimentos, que a arte de dançar progride sempre, imparável, desta vez associada às nações e às cortes com quem Portugal se associa, como é o caso da Inglaterra. Essa Inglaterra para onde segue Catarina de Bragança e que, como Portugal, inicia o seu período pós-Restauração. Alheias a crises e a conflitos, a poesia e a dança seguem sempre. Livres e associadas.

Eis pois, a palavra e a dança do século XVII acompanhadas pela flauta, o cravo/virginal e percussão.

visitas em familia

O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE

Descobrir o castelo e a alcáçova medieval e a sua relação com a cidade propriamente dita, numa abordagem das estruturas defensivas da cidade medieva do século XI-XII, assim como dos aspetos sociais, religiosos e económicos da época, tendo por base o cenário encontrado pelo contingente militar cristão liderado por Afonso Henriques que, após um longo cerco de aproximadamente quatro meses, entra na cidade em 25 de Outubro de 1147, hasteando o estandarte da cristandade.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | VISITAS EM FAMÍLIA
O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE
27 JAN | 24 FEV | 24 MAR | 28 ABR | 26 MAI | 23 JUN | 28 JUL | 25 AGO | 22 SET | 27 OUT | 24 NOV | 22 DEZ
11.00 | M/6 | 3,50 €
INSCRIÇÃO PRÉVIA | info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE

..