visitas em familia

O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE

Descobrir o castelo e a alcáçova medieval e a sua relação com a cidade propriamente dita, numa abordagem das estruturas defensivas da cidade medieva do século XI-XII, assim como dos aspetos sociais, religiosos e económicos da época, tendo por base o cenário encontrado pelo contingente militar cristão liderado por Afonso Henriques que, após um longo cerco de aproximadamente quatro meses, entra na cidade em 25 de Outubro de 1147, hasteando o estandarte da cristandade.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | VISITAS EM FAMÍLIA
O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE
27 JAN | 24 FEV | 24 MAR | 28 ABR | 26 MAI | 23 JUN | 28 JUL | 25 AGO | 22 SET | 27 OUT | 24 NOV | 22 DEZ
11.00 | M/6 | 3,50 €
INSCRIÇÃO PRÉVIA | info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE

VESTÍGIOS DO ANTIGO PAÇO REAL DA ALCÁÇOVA

ANTES DO CASTELO

A história e a arqueologia dos períodos anteriores à construção do Castelo: das culturas que chegaram à cidade de Lisboa entre os séculos VIII e III a.C. e do impacto que tiveram no comércio, no urbanismo e na cultura material da época. Dos vestígios da passagem do exército romano republicano por Olisipo, no século II a.C., e de como essa presença se transformou mais tarde numa cidade romana imperial até à chegada dos Visigodos no século V.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | VISITAS EM FAMÍLIA
ANTES DO CASTELO
6 JAN | 3 FEV | 3 MAR | 7 ABR | 5 MAI | 2 JUN | 7 JUL | 4 AGO | 1 SET | 6 OUT | 3 NOV | 1 DEZ
11.00 | M/6 | 3,5 €
INSCRIÇÃO PRÉVIA | info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE

besteiros_do_conto_8

O CONTO DOS BESTEIROS DE LISBOA

Foi no final do século XIII que D. Dinis atribuiu 3 cartas de privilégios aos Besteiros do Conto de Serpa, evento que tradicionalmente marca o início oficial da formação dos vários contos de Besteiros pelo Reino. No entanto estas milícias concelhias tinham já longa tradição na sua organização.

A parte de explicação sobre a sua evolução, uso e capacidade bélica centra-se na história dos besteiros do conto, essa importante milícia municipal. Será abordada a totalidade da temática dos Besteiros do Conto, desde as suas obrigações milicianas, aos seus privilégios obrigações Reais.

Os besteiros farão a sua prática dominical de “tiro à barreira”, demonstrando a perícia dos atiradores e as capacidades das armas. Será colocada em campo um conto de besteiros, uma unidade liderada pelo seu anadel, devidamente equipada com as cores do Ofício Bélico e o restante equipamento usado pelos homens que treinavam o manejo destas armas.

Lisboa disponha do maior conto de besteiro do reino, totalizando 300 atiradores, em linha com o seu estatuto de capital do reino.

Apresentaremos uma coleção de bestas desde os modelos mais arcaicos sem noz de gatilho até aos modelos mais avançados com noz e arco em metal, bem como os diferentes modos de armar (p.e. polé, cranequim, garruncho, garruncha etc.), apresentaremos igualmente os vários tipos de virote e o seu uso. A evolução tecnológica e manufatura quer dos vários tipos de besta como dos vários tipos de virote é uma parte importante da explicação dada ao visitante.

Complementarmente poderão ser apresentados arcos como percursores da besta e arcabuzes como seus sucessores.

Os visitantes poderão experimentar o manejo da besta, sob da orientação dos membros do Ofício Bélico.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | ARTES BÉLICAS
O CONTO DOS BESTEIROS DE LISBOA
13 JAN | 10 FEV | 10 MAR | 14 ABR
11.00 | M/5 | bilhete Castelo S. Jorge
OFÍCIO BÉLICO

seculo xv com a arte de gil vicente

DANÇAS E MÚSICA NO PAÇO – SÉCULO XVI

DOMINGOS EM FAMÍLIA | DANÇAS E MÚSICA NO PAÇO
POESIA E DANÇA – SÉCULOS XV A XVII
A voz e o corpo. O som e o movimento.
11.00 | M/5 | bilhete Castelo S. Jorge
ASSOCIAÇÃO DANÇAS COM HISTÓRIA E DOLCIMELLO

No princípio era o verbo. Depois veio o corpo. A palavra e o gesto. E assim se fez a dança. Impossível separar aquilo que a Natureza uniu. A Associação Danças com História e Dolcimello trazem ao Castelo de S. Jorge um conjunto de danças históricas assentes no que de melhor a nossa literatura produziu nos séculos XV, XVI e XVII…

SÉCULO XVI
20 JAN | 17 FEV | 17 MAR | 21 ABR
Liberta do latim medieval, senhora já dos seus plenos e amplos recursos, a língua portuguesa ganha o estatuto que a partir daí nunca mais perdeu. O português torna-se império e começa a gerar descendência, com idiomas crioulos e sotaques variados por esse mundo fora. É o tempo glorioso de Camões e mestre Gil, de Bernardim e de Resende. É o tempo dourado da poesia quinhentista.

Ao mesmo tempo, é o período de afirmação da dança portuguesa, sincrética e original, assente nos ritmos ibéricos e aberta ao que outras cortes dançavam. Essas mesmas cortes para onde as princesas portuguesas iam, desde Castela até à Borgonha e mais além.

Eis, pois, a palavra e a dança do século XVI acompanhadas por um conjunto de flautas renascentistas e percussão.

visitas em familia

O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE

Descobrir o castelo e a alcáçova medieval e a sua relação com a cidade propriamente dita, numa abordagem das estruturas defensivas da cidade medieva do século XI-XII, assim como dos aspetos sociais, religiosos e económicos da época, tendo por base o cenário encontrado pelo contingente militar cristão liderado por Afonso Henriques que, após um longo cerco de aproximadamente quatro meses, entra na cidade em 25 de Outubro de 1147, hasteando o estandarte da cristandade.

DOMINGOS EM FAMÍLIA | VISITAS EM FAMÍLIA
O CASTELO, A ALCÁÇOVA E A CONQUISTA DA CIDADE
27 JAN | 24 FEV | 24 MAR | 28 ABR | 26 MAI | 23 JUN | 28 JUL | 25 AGO | 22 SET | 27 OUT | 24 NOV | 22 DEZ
11.00 | M/6 | 3,50 €
INSCRIÇÃO PRÉVIA | info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE

..