scriptorium-1

Oficina da Escrita: conhecer e aprender a ler as escritas antigas (Paleografia e Epigrafia)

Oficina da Escrita: conhecer e aprender a ler as escritas antigas (Paleografia e Epigrafia)

Alguma vez passou por uma igreja, por casas antigas, e viu, no chão ou nas paredes, pedras com letras indecifráveis? Ou abriu um livro antigo e não conseguiu ler nada, e ficou espantado quando lhe disseram que é português? Aproveite esta oportunidade única de aprender como se escrevia antigamente, aqui no Castelo de São Jorge!

Neste curso, composto por aulas teóricas e práticas, aprenderá a identificar os vários alfabetos usados em Portugal nos séculos XIV a XVI, e a reconhecer o sistema abreviativo medieval e moderno, fundamental para a leitura dos documentos sejam eles escritos em pergaminho, papel ou gravados na pedra. Ministrado em 6 sessões, de duas horas cada.

Com Filipa Avellar, especialista nas áreas de Epigrafia e Paleografia portuguesa.

Preço total 30€ (pré-pagamento)
Horário Pós laboral – 18h às 20h
Datas Novembro: 10, 16, 24 e 30; Dezembro: 7 e 14
Local Sala Ogival – Castelo de São Jorge
Inscrições info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620

Objetos Contadores de Historias Web

Objetos contadores de histórias – Oficina Para Toda a Família

Objetos contadores de histórias

Pode um objeto contar-nos uma história? Que respostas podemos encontrar a partir da investigação arqueológica? Através do trabalho em equipa, será possível descobrir respostas para vários enigmas em torno de histórias da Idade do Ferro, do período islâmico, da Idade Média e da Idade Moderna.

Esta oficina utiliza o “puzzle” como estratégia para estimular o reconhecimento de épocas diferentes a partir de peças do museu, fazendo a ponte com o seu lugar de origem, o Núcleo Arqueológico do Castelo.

15h, M/6 anos, PT
Máximo de 15 participantes
3,5 euros (mediante marcação prévia)
Duração aproximada de 1h
servicoeducativo@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
com Raquel Guerreiro (Serviço Educativo)

Infanta_María_de_Aragon,_Rainha_de_Portugal

Como seria um dia… na vida de D. Maria? – Oficina Para Toda a Família

Como seria um dia… na vida de D. Maria? – Oficina Para Toda a Família

No Castelo de São Jorge existiu um palácio muçulmano e depois cristão, onde moraram Reis e Rainhas de Portugal. D. Maria de Castela, segunda mulher de D. Manuel, viveu neste palácio uma parte significativa da sua vida de casada. Sabemos que era culta, crente e criativa. Como seria um dia na sua vida?

12 de dezembro – domingo
11h
8 a 12 anos
Preço: 3,5 (mediante marcação)
Duração aproximada: 1h30
Reservas: servicoeducativo@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620

O Cavaleiro da Dinamarca_Fotogradia Tiago Ladeira

O Cavaleiro da Dinamarca – Oficina de Natal

O Cavaleiro da Dinamarca – Oficina de Natal

“Há muitos anos, há dezenas e centenas de anos, havia um certo lugar da Dinamarca, no extremo Norte do país, perto do mar, uma grande floresta de pinheiros, tílias, abetos e carvalhos…”
Sophia de Mello Breyner, “O Cavaleiro da Dinamarca”

E é sobre a natureza e a floresta que começa a bela história de Natal, “O Cavaleiro da Dinamarca” de Sophia de Mello Breyner. Uma história que nos fala de viagens, de encontros e da família.
Através do Castelo de São Jorge descobrimos vários conceitos da Idade Média inseparáveis desta história, como a viagem do cavaleiro e o que é a peregrinação.
O significado do pinheiro é também outra das histórias que poderão descobrir nesta oficina, onde juntos criaremos uma decoração de Natal, em família.

12 de dezembro – domingo
15h, M/6 anos, PT
3,5 euros (mediante marcação prévia)
Duração aproximada de 1h
servicoeducativo@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
com Marta César de Sá (Serviço Educativo)

©Kenton.Thatcher_DSC7197

No tempo de D. Manuel I – o Paço da Alcáçova e o teatro de Gil Vicente

No tempo de D. Manuel I – o Paço da Alcáçova e o teatro de Gil Vicente

No ano em que se assinalam os cinco séculos da morte do rei D. Manuel I, o Castelo de São Jorge convida-nos a conhecer o palco das primeiras encenações dramáticas do Portugal quinhentista. Foi no Paço Real da Alcáçova que, em julho de 1502, perante o rei D. Manuel, a rainha D. Maria de Castela, a rainha velha D. Leonor e demais pessoas da corte, Gil Vicente compôs e representou o Auto da Visitação (mais conhecido como o “Monólogo do Vaqueiro”) para comemorar o nascimento do futuro D. João III. O palácio, lugar de nascimento de reis e infantes, foi também o local onde Gil Vicente representou os seus primeiros quatro autos – além do já citado Auto da Visitação, o Auto Pastoril Castelhano, o Auto dos Reis Magos e o Auto dos Quatro Tempos. Com estas representações, a velha residência dos reis em Lisboa ficou para sempre associada aos primórdios da dramaturgia moderna em Portugal.

13 de dezembro – segunda – 500 anos da morte de D. Manuel I
16h, M/12 anos, PT
3,5 euros (mediante marcação prévia)
Duração aproximada de 1h
servicoeducativo@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
com André Leitão (Serviço Educativo) e Raquel Guerreiro (Serviço Educativo)

Joao Vale Foto

Concertos de Natal Comentados – Concerto I

Desde sempre que os compositores dedicaram à infância e à juventude parte das suas obras, tanto com um carácter didáctico e pedagógico, como um auto-reviver do que outrora foram.
Nas obras de Bach, Beethoven e Clementi, aqui apresentadas encontramos estas duas facetas: Bach escreveu dezenas de pequenas peças destinadas a executantes em fase de iniciação, mas que, pela sua qualidade e beleza, se tornaram conhecidas do grande público; Beethoven, nesta sonata de carácter jovial, mas de grande maturidade musical e pianística reencontra e relembra a sua juventude, enquanto Clementi, compõe esta famosa sonatina especialmente para pianistas jovens no início dos seus estudos.
Mas é na obra central deste programa que estas duas facetas se cruzam. O livro de Maria Frederica, de Frederico de Freitas, é composto por 36 pequenas peças, aparentemente infantis, mas que revelam a grande maturidade do compositor. Neste programa são apresentadas apenas 18, combinadas de forma a contarem uma história ou pequenos momentos de um dia passado com Maria Frederica.

Concertos de Natal Comentados – Concerto I
Concerto I
16 de dezembro, quinta-feira
16h00
M/6
Sala Ogival – Castelo de São Jorge
Entrada incluída no Bilhete Castelo de São Jorge
(Entrada gratuita para residentes no Concelho de Lisboa)
Mediante lotação da sala

Piano: João Lucena e Vale

Repertório:
Bach, J.S, 8 pequenas peças (Minuetes, Marchas, Prelúdios e Musettes)
Beethoven, L.van, Sonata op.49, nº2, em Sol M
Clementi, M., Sonatina nº1, op.36 em Dó M
Frederico de Freitas, “O livro de Maria Frederica (excertos)”

Joao Vale Foto

Concertos de Natal Comentados – Concerto II

Depois de oito pequenas peças de Bach dedicadas a um público mais jovem, o concerto continua com o mais conhecido e universal tema de Mozart: as Variações “Ah vous dirai-je, maman”. Ao longo de doze variações, Mozart explora todas as potencialidades do piano, num registo virtuoso, mas sem nunca deixar de fazer sobressair o carácter puro e a simplicidade do tema principal.
Os animais são a inspiração para a obra de Francisco de Lacerda. Composta no início do século XX, a obra está repleta de imagens e evocações, umas vezes humorísticas, outras sonhadoras e quase irreais, refletindo as correntes estéticas da época, fazendo com que a sua audição seja uma surpresa constante e um desafio à imaginação.
Contemporâneo e amigo de Francisco de Lacerda, Decbussy também se debruçou sobre o tema da infância, dedicando o Children´s Corner à sua filha. As duas obras hoje interpretadas são as mais conhecidas e fecham este pequeno ciclo do compositor francês.
O concerto termina com 3 pequenas peças de Prokofieff, compositor sobejamente conhecido do público mais jovem pela sua versão sinfónica d’”O Pedro e o lobo”. Outra obra que o compositor dedicou aos mais jovens é o seu op.65, “Música para Crianças”, do qual fazem parte estes 3 divertidos momentos musicais.

Concerto II
17 de dezembro, sexta-feira
16h00
M/6
Sala Ogival – Castelo de São Jorge
Entrada incluída no Bilhete Castelo de São Jorge
(Entrada gratuita para residentes no Concelho de Lisboa)
Mediante lotação da sala

Piano: João Lucena e Vale

Repertório:
Bach, J.S., 8 pequenas peças (Minuetes, Marchas, Prelúdios e Musettes)
Mozart, W.A. Variações “Ah vous dirais-je, maman”, K.265
Francisco de Lacerda (1869-1934) “36 Histórias para entreter os filhos de um artista” (excertos)
Debussy, C., “The little shepherd”, Golliwogg’s Cake Walk
Prokofieff, S. “Tarantela, Marcha e Cortejo dos gafanhotos”

SAMSUNG CSC

Blhéc, outra vez peixe! – Oficina sobre alimentação romana

Blhéc, outra vez peixe! – Oficina sobre alimentação romana

“A Maria amuava sempre aos domingos, à mesma hora e no mesmo sítio. A causa da má disposição da Maria era o almoço, ou melhor, o peixe cozido.”
Margarida Botelho, “Os lugares de Maria”

A Maria detesta peixe e não tem a vida fácil aos domingos. Mas, e se a Maria tivesse nascido no tempo dos romanos, grandes apreciadores de uma pasta de peixe feita de atum, cavala ou sardinha, o garum?
Vamos explorar a alimentação através dos achados arqueológicos e levar-te a construir o teu menu ideal.

18 de dezembro – sábado
15h, M/6 anos, PT
3,5 euros (mediante marcação prévia)
Duração aproximada de 1h
servicoeducativo@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
com Inês Noivo (Serviço Educativo)

Joao Vale Foto

Concertos de Natal Comentados – Concerto III

Duas obras de Mozart em contraste: a Fantasia em Dó menor, K.475 remete-nos para um mundo misterioso, por vezes luminoso e divertido, mas subitamente contrastando com momentos sombrios e dramáticos. As famosas variações, levam-nos de volta ao ambiente descontraído e juvenil deste compositor.
Em contraste com Mozart, surgem as Variações sobre um tema popular português de Lopes-Graça em que todos os recursos do piano são explorados através da linguagem tão característica deste compositor.
Estes dois mundos, Mozart e Lopes-Graça, são interrompidos pela famosa obra de Schumann, Cenas infantis, composta por treze pequenas reminiscências de infância, lembranças quase sonhos, ou monentos marcantes que o compositor relembra mais tarde e traduz em notas nestas páginas poéticas e belas.

Concerto III
18 de dezembro, sábado
16h00
M/6
Sala Ogival – Castelo de São Jorge
Entrada incluída no Bilhete Castelo de São Jorge
(Entrada gratuita para residentes no Concelho de Lisboa)
Mediante lotação da sala

Piano: João Lucena e Vale

Repertório:
Mozart, W.A. Fantasia em Dó menor, k.475, Variações “Ah vous dirais-je, maman”, K. 26
Shumann, R., “Cenas Infantis, op.15”
Lopes-Graça, F., “Variações sobre um tema popular português”

O Cavaleiro da Dinamarca_Fotogradia Tiago Ladeira

O Cavaleiro da Dinamarca – Oficina de Natal

O Cavaleiro da Dinamarca – Oficina de Natal

“Há muitos anos, há dezenas e centenas de anos, havia um certo lugar da Dinamarca, no extremo Norte do país, perto do mar, uma grande floresta de pinheiros, tílias, abetos e carvalhos…”
Sophia de Mello Breyner, “O Cavaleiro da Dinamarca”

E é sobre a natureza e a floresta que começa a bela história de Natal, “O Cavaleiro da Dinamarca” de Sophia de Mello Breyner. Uma história que nos fala de viagens, de encontros e da família.
Através do Castelo de São Jorge descobrimos vários conceitos da Idade Média inseparáveis desta história, como a viagem do cavaleiro e o que é a peregrinação.
O significado do pinheiro é também outra das histórias que poderão descobrir nesta oficina, onde juntos criaremos uma decoração de Natal, em família.

19 de dezembro – domingo
15h, M/6 anos, PT
3,5 euros (mediante marcação prévia)
Duração aproximada de 1h
servicoeducativo@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
com Inês Noivo (Serviço Educativo)

1 2
..