LIS MATER

MATER nasceu de um convite à Amalgama Companhia de Dança, criar algo específico para o Castelo de S. Jorge, um lugar emblemático e único da nossa cidade. Um lugar que nos inspira a berço, raízes, memórias, pedra, coragem, edificação, MATER faz a síntese de três estímulos essenciais que estão na origem da sua construção

a “Conquista” (vontade primordial/ não a vontade de conquista do outro mas de me conquistar, fazer renascer da minha essência, de me outrar no melhor de mim, o sonho, o ideal, a missão)

a “Espada” (São Jorge, o cavaleiro anjo guerreiro, a que afasta e protege dos obstáculos, a coragem de se cumprir a missão própria, a coluna vertebral do alinhamento e elevação, a chave que abre a porta, ou a cruz/flamejante, alquímica e iniciática, de saber ser pela lei da espada e do amor)

a “Origem” (a matriz, ancestral, física, mas não só, a memória, o lugar primeiro, Mater a grande mãe simbólica, a capacidade de dar a Luz, criar forma, a matéria prima que se sublima na missão e se materializa na forma, dentro e fora de cada um de nós, de materializar o ideal, o sonho, o que pulso do fundo invencível, o Amor).

A Lis associamos a matriz, origem simbólica de Lisboa associada ao Castelo e tudo o que nele encerra, a grande edificação, a obra arquitetónica, a casa, a estrutura, a proteção, a fundação, a elevação, a raiz e identidade simbólica de uma cidade e de um povo nação.

Também neste Castelo se iniciou a cidade, se lutou por ela, se matou erroneamente em nome de muita ilusão e poder, mas não são esses estímulos que nos tocam, ou onde se apoia a criação.

Todo símbolo verdadeiro encerra sempre uma pluralidade de sentidos que, longe de se excluírem ou de se contradizerem, harmonizam-se e complementam-se mutuamente.

Não se pretende contar histórias, mas trabalhar o símbolo, uma essência primeira, honrar a Origem, por um olhar aberto através da dança, da música e do canto.

Assim, a alquimia da criação, numa visão poética e simbólica, procura na síntese dos três estímulos, a matriz, conquista de si mesmo, para uma verdadeira ligação aos outros e ao mundo, o conquistador do Quinto Império, o casamento da força e da beleza, o ideal renascido do Amor.

A proposta assenta na apresentação de um site specific composto e cocriado por um grupo de bailarinos da Amálgama com a participação de músicos e vozes. A criação assenta na escuta e nos estímulos do espaço, desenha-se a partir dos seus recursos naturais e nos cruzamentos cénicos que lhe vão dando forma entre corpos e pedras, e desenrola-se como uma viagem e um convite ao público presente para nela também entrar.

Corpos na pedra, movimentos, instalações, rituais dançantes, encontros, desafios…

O Guerreiro e seu símbolo sintetizam, de algum modo, os dois aspetos de “Tudo” em sua significação “Total”. Madame Blavatsky

Ou como dizia Saramago … “…a história do passado esse tempo que é todo o tempo “…

Conquista-me contorna-me aprofunda-te em mim!

Risoleta Pinto Pedro

SÁBADOS NO CASTELO | LIS MATER
29 JUNHO | 6, 13, 20 e 27 JULHO | 19.00
todas as idades | bilhete Castelo de S. Jorge

criação e interpretação COLECTIVO AMALGAMA
figurinos ESCOLA DE MODA DE LISBOA
direção artística SANDRA BATTAGLIA
textos RISOLETA PINTO PEDRO
participação especial MÚSICOS E CANTORES

AMÁLGAMA COMPANHIA DE DANÇA

dança

..