DOMINGOS EM FAMÍLIA

JOGOS EM FAMÍLIA
11H | M/5 | Duração 1H30 | M/5 | 3,5 €
4 JAN | 1 FEV | 1 MAR | 5 ABR | 3 MAI | 7 JUN | 5 JUL | 2 AGO | 6 SET | 4 OUT | 1 NOV | 6 DEZ
INSCRIÇÃO PRÉVIA | info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE
Durante duas horas, os Arautos da Brincadeira, D. Berengário e D. Segismundo, só descansam quando todos participarem nas brincadeiras e jogos de outros tempos que prepararam: o quebra-bilhas, a vara-cega, a torre do tesouro, entre outras brincadeiras e surpresas.

ARTES BÉLICAS NO CASTELO
11H | M/5 | Bilhete Castelo S. Jorge
INSCRIÇÃO PRÉVIA
OFÍCIO BÉLICO

ROMANOS, ÁRABES E CRUZADOS
11 JAN | 12 ABR | 12 JUL | 11 OUT
Artilharia de cerco do séc. II A.C. ao séc. XIII – três máquinas (balista clássica, espringal e balista medieval) serão apresentadas no contexto de um cerco e cada uma contará com o seu conjunto de artilheiros equipados a rigor. A explicação histórica e tecnológica da artilheria de torsão desde o seu aparecimento na época clássica até ao seu crepúsculo no séc. XIII. Cada equipa de artilheiro irá fazer uma demonstração do funcionamento, procedendo ao disparo das armas de cerco. No final de cada demonstração, os participantes terão oportunidade de contactar diretamente com estas armas reais: sendo artilheiros e experimentando o disparo contra alvos variados colocados em locais estratégicos.

CAVALEIROS, LANCEIROS E ESCUDEIROS
8 FEV | 10 MAI | 9 AGO | 8 NOV
O combate corpo a corpo e a evolução das unidades táticas medievais denominadas lanças. A evolução da lança desde o séc. XII até ao séc. XVI. Vários enquadramentos para cada lança, nomeadamente a reconquista, a crise de 1383-85 e a época dos descobrimentos. Combate de unidades ou formações militares que demonstram que as batalhas não são uma soma de duelos individuais. As várias “lanças”, unidade tática portuguesa onde um cavaleiro é coadjuvado por atiradores e infantes do seu séquito pessoal, revela que o todo é superior à soma das partes. Na praça de armas três “lanças” diferentes no equipamento, cada uma representativa de um período (séc. XII, séc. XIV e séc. XVI). As componentes de demonstração incluirão combates entre os grupos e duelos individuais.

ARQUEIROS, BESTEIROS E ARCABUZEIROS
8 MAR | 14 JUN | 13 SET | 13 DEZ
Desde a criação do arco passando pela evolução da besta até à invenção do arcabuz, combate à distância em vários séculos, diferenças e evolução das armas de alcance. Os tradicionais exercícios do arqueiro, o “tiro à barreira” por parte dos besteiros, demonstrando a perícia dos atiradores e as capacidades das armas. Serão colocados em campo vários atiradores que farão exercícios de comparação entre as várias armas. Desde a velocidade de tiro do arqueiro, passando pela potência de tiro do besteiro, até ao efeito sonoro de um tiro de arcabuz. No final da demonstração os espetadores poderão experimentar o manejo da besta e do arco, sob a orientação dos membros do Ofício Bélico.

DANÇAS COM HISTÓRIA
11H | M/5 | Bilhete Castelo S. Jorge
INSCRIÇÃO PRÉVIA
ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DANÇAS COM HISTÓRIA

O SÉCULO XV COM A ARTE DE GIL VICENTE
18 JAN | 19 ABR | 19 JUL | 18 OUT
O século XV, com a arte de Gil Vicente, onde a dança se reconhece amiúde como presente nos seus autos e farsas.
Ditosos tempos para a pátria lusa, estes em que suas naus e caravelas aportam a todos os cais do mundo descoberto e trazem bizarria em costumes, gentes e bichos, e riquezas nunca antes almejadas que permitem o fausto ímpar desta corte, hoje ilustrada com a presença de D. Leonor, esposa do falecido El-Rei D. João II, de D. Beatriz, mãe do nosso Rei, na celebração do nascimento do Infante D. João, filho do Venturoso D. Manuel e de sua real esposa, D. Maria, a quem nós honraremos com danças mui alegres com que todos se comprazam e a quem Gil Vicente prestará homenagem apresentando o Auto da Visitação.

O SÉCULO XVI COM A ARTE DE CAMÕES
15 FEV | 17 MAI | 16 AGO | 15 NOV
O século XVI, com a arte de Camões, cortesão por vocação e bailador por associação.

Em meados do século XVI, D. Sebastião alvoroça o país com os preparos para a expedição a África. O som de charamelas cede lugar ao rufo de tambores e ao tinir de espadas esgrimindo nos treinos para a luta contra o infiel. Mas se pelo reino se prepara a guerra, a nobreza não abandona a cortesia e ao terçar de armas contrapõe o terçar de danças mantendo refinado o ambiente de corte abrindo os paços a figuras tão ilustres como Luís Vaz de Camões que ora apresentará a El-Rei D. Sebastião a obra-prima da epopeia lusitana.

O SÉCULO XVII COM A ARTE DE FRANCISCO MANUEL DE MELO
15 MAR | 21 JUN | 20 SET | 20 DEZ
O século XVII, com a arte de Francisco Manuel de Melo, no qual os fidalgos são aprendizes de dança por ambição.
Ao esplendor das festas palacianas de outrora sobreviveu a nobre arte da dança, considerada uma mais propícia para a fidalguia. Assim o entendeu D. Francisco Manuel de Melo, trazendo para o reino a Ópera Ballet e ilustrando no seu famoso Auto do Fidalgo Aprendiz, o empenho de um fidalgo em aprender esta arte apesar de em finais do século XVII a fidalguia lusitana inclinar os seus gostos para a tauromaquia, embora sendo comum introduzir como introito às touradas, danças mouriscas e folias.

VISITAS EM FAMÍLIA
11H | M/5 | Duração 1H30 | M/5 | 3,5 €
25 JAN | 22 FEV | 22 MAR | 26 ABR | 24 MAI | 28 JUN | 26 JUL | 23 AGO | 27 SET | 25 OUT | 22 NOV | 27 DEZ
INSCRIÇÃO PRÉVIA | info@castelodesaojorge.pt | +351 218 800 620
SERVIÇO EDUCATIVO CASTELO DE S. JORGE
Visita de exploração do castelejo e do sítio arqueológico, de descoberta dos espaços, dos personagens e das histórias, que visa estimular e aprofundar a sensibilidade e o respeito pelo património histórico enquanto valor cultural, através do conhecimento e compreensão dos vestígios do passado.

..