O Serviço Educativo do Castelo de S. Jorge disponibiliza vários programas de actividades que têm por objectivo estimular a compreensão de diversos aspectos de continuidade espacio-temporal do património do Castelo de S. Jorge, proporcionando leituras temáticas da história, dos espaços, das personagens, dos episódios e dos saberes que se foram acumulando ao longo dos tempos, promovendo o gosto pelo conhecimento histórico e pela valorização do património cultural enquanto factor de desenvolvimento humano.

Do milenar Castelo de São Jorge, surge o Programa Escolar 2021/2022, que se mune de estratégias e engenhos para aproximar o passado, do nosso presente.
O Serviço Educativo do Castelo oferece um leque variado de atividades que pretendem ir ao encontro das diferentes leituras que o monumento possibilita. Adaptando-se às necessidades de cada pessoa, grupo ou capítulo, para despertar a curiosidade e contribuir para a construção de identidades cívicas, conscientes e inclusivas.
É no alto da colina que se descobre este puzzle vivo de tempos e vivências, onde cabem todas as histórias. As de outrora e as de hoje, de portões abertos para quem as venha descobrir ou escrever.

De outubro a agosto | 2ª a 6ª feira | 10h30 e 14h30 | 2,5 euros por participante | Atividades com marcação | Máximo de 25 participantes

1 – OS PRIMEIROS ENCONTROS NO CASTELO – PRÉ-ESCOLAR

Programa de atividades desenvolvidas de acordo com os objetivos indicados nos programas escolares em vigor para cada ano/ciclo.

Castelo POP-UP
Visita oficina
Duração 1h30
Conhecidos por serem guardadores de tesouros, os baús podem ser verdadeiros contadores de histórias! No Castelo de São Jorge guardamos um baú especial, que de páginas grandes e pintadas cativam o olhar e a atenção.
Antes de descobrir o castelo ao vivo e a cores, juntamo-nos para a “hora do conto”, que se conta de palavras e de imagens e despertam a nossa imaginação.
Competências e conteúdos:
• História da cidade e do Castelo;
• Conhecimento do mundo social;
• Construção da identidade e da autoestima;
• Artes Visuais.

Explorando formas e feitios – O que é um Castelo?
Visita oficina
Duração 1h30
Grandes, fortes e por vezes, no alto das colinas, os castelos sobressaem e avistam-se a largas distâncias. E se for com uns binóculos especiais? Assim, veem-se ainda melhor e permitem descobrir todos os pormenores!
Através de uma verdadeira viagem pelas formas e os feitios dos castelos, será possível descobrir para que serviam e o que são! Conhecendo as diversas formas (geométricas e outras), os seus materiais e elementos.
Competências e conteúdos:
• Geometria e Medida;
• Consciência de si como aprendente;
• Introdução à Metodologia Científica;
• Conhecimento do mundo físico e natural.

Peça a peça, pelo Museu
Visita jogo
Duração 1h30
Será que conseguíamos viver sem objetos? E será que os objetos que usamos sempre foram iguais? Ao percorrer e ao identificar objetos de antigamente, comparando-os com os dos nossos dias, descobriremos, em peças de épocas diferentes, parte da história do Castelo. Nesta atividade, vamos responder a estas e outras perguntas, num jogo divertido pelo museu do castelo.
Competências e conteúdos:
• Conhecimento do mundo social;
• Construção da identidade e da autoestima;
• Artes Visuais;
• Raciocínio e resolução de problemas.

2 – DESCOBRIR AS HISTÓRIAS – 1º CICLO

Programa de atividades desenvolvidas de acordo com os objetivos indicados nos programas escolares em vigor para cada ano/ciclo.

Muralhas, ameias e torreões – Um Castelo a descobrir
Visita jogo
Duração 1h30
O que são ameias e merlões? Que tipo de mecanismos e objetos se usavam para defender os castelos? Porque existem torres tão altas? Através de uma visita jogo, desafiamos os participantes a aprender sobre a materialidade de um castelo. De forma divertida, poderemos jogar ao “Quem é quem” da história de Portugal e do Castelo de São Jorge.
Competências e conteúdos:
• História da formação de Portugal;
• Preservação do Património histórico-cultural e arquitetónico;
• Expressão oral articulada;
• Raciocínio e resolução de problemas.

No tempo de D. Afonso Henriques
Visita encenada
Duração 1h30
O rei D. Afonso Henriques encontra-se com D. Teresa, sua mãe, no Castelo de São Jorge. Ambos com ideias diferentes e objetivos distintos, embarcam num diálogo acalorado em torno de alguns dos factos mais importantes do reino de Portugal.
Convidamos a interpretar os factos, com a intenção de conhecer a vida do rei, cuja ação ficou diretamente ligada à história de Lisboa pelo cerco que promoveu e pela conquista da cidade aos muçulmanos.
Competências e conteúdos:
• História da formação de Portugal;
• Identidades culturais;
• Preservação do Património histórico-cultural e arquitetónico.

Quem voa no Castelo?
Visita jogo
Duração 1h30
O Castelo de São Jorge não vive só de histórias de cavaleiros e princesas. Existem muitas outras histórias igualmente de encantar sobre outros habitantes que fizeram a sua casa nas muralhas de pedra, nas árvores, nos jardins e nos esconderijos que ele tem. Através de jogos e passeios descobrimos vários desses habitantes, especialmente os que voam no Castelo. Será que todos são aves? Quem são esses seres, onde moram e como vivem, como cantam e o que os ameaça, serão os temas de conversa para a experiência que propomos.
Competências e conteúdos:
• Equilíbrio e proteção do ambiente;
• Medidas de preservação dos recursos naturais e biodiversidade;
• Preservação do Património histórico-cultural e arquitetónico;
• Raciocínio e resolução de problemas.

Puzzles com História
Visita jogo
Duração 1h30
O que são monumentos e o que os torna especiais? Fazem estes sítios só parte da cidade, ou também parte de nós?
Há uma imagem muito antiga do séc. XVI, que nos mostra alguns desses lugares e resgata a memória da malha urbana que muito mudou ao longo dos séculos.
Através desta oficina refletimos sobre o conceito de monumento e descobrimos os monumentos da cidade, através de um jogo.
Competências e conteúdos:
• História da formação de Portugal;
• História da expansão marítima;
• Terramoto de 1755;
• Preservação do Património histórico-cultural e arquitetónico;
• Expressão oral e escrita criativa.

3 – EXPLORAR ATENTAMENTE – 2º CICLO
Programa de atividades desenvolvidas de acordo com os objetivos indicados nos programas escolares em vigor para cada ano/ciclo.

Pela história vou… saber quem sou!
Visita oficina
Duração 1h30
“Quem sou eu, ou quem somos nós?”, serão perguntas que um castelo poderá ajudar a responder? Seremos nome, altura ou data de nascimento ou a nossa Identidade vai além de um Cartão de Cidadão? E os outros? Será que fazem parte de mim?
Ao explorar figuras históricas e episódios da História, vamos tentar responder a estas questões, ou fazer mais perguntas.
Será que o D. Afonso Henriques foi sempre o mesmo ao longo da sua vida? E se mudarmos de sítio deixamos de ser as mesmas pessoas?
Percorrendo a Idade Média portuguesa perceberemos como a identidade de uma cidade, ou de uma sociedade, muda ao longo do tempo e como se formam identidades por cima de algo que já existe.
Competências e conteúdos:
• A Península Ibérica: dos primeiros povos à formação de Portugal;
• Portugal do século XIII ao século XVII;
• Identidade e interculturalidade;
• Apropriação cultural.

A Torre do Tombo, a escrita e a língua portuguesa
Visita oficina
Duração 1h30
O que fazia um escrivão na Idade Média? E um iluminador? Quem eram estas pessoas? Será que sempre se falou português? E se não, que língua se falava?
Seremos Fernão Lopes por um dia, descobrindo as origens e a evolução da língua portuguesa, vendo documentos iluminados com caligrafia gótica! Enquanto descobrimos capitulares góticas, as iluminuras e as origens do português.
Competências e conteúdos:
• A Península Ibérica: dos primeiros povos à formação de Portugal;
• Portugal do século XIII ao século XVII;
• Identidade e interculturalidade;
• Introdução à história da língua portuguesa.

Que nos contam as peças do Museu?
Visita oficina
Duração 1h30
Pode um objeto contar-nos uma história? Que respostas podemos encontrar a partir da investigação arqueológica? Através do trabalho em equipa, será possível descobrir respostas para vários enigmas em torno de histórias da Idade do Ferro, do período islâmico, da Idade Média e da Idade Moderna.
Esta visita-oficina utiliza o “puzzle” como estratégia para estimular o reconhecimento de épocas diferentes a partir de peças do museu, fazendo a ponte com o seu lugar de origem, o Núcleo Arqueológico do Castelo.
Competências e conteúdos:
• A Península Ibérica: dos primeiros povos à formação de Portugal;
• Portugal do século XIII ao século XVII;
• Identidade e interculturalidade;
• Raciocínio e resolução de problemas.

Vivências na Lisboa islâmica
Visita jogo
Duração 1h30
Nesta atividade iremos conhecer o dia-a-dia dos muçulmanos em Lisboa, durante a Idade Média, tendo por ponto de partida as casas islâmicas descobertas no Núcleo Arqueológico do Castelo de São Jorge e dos materiais aí escavados, expostos no Núcleo Museológico do Castelo de São Jorge, chamando a atenção para aspetos quotidianos, como as práticas, a alimentação, a higiene, o trabalho, ou os jogos. No final da atividade, faremos uma revisão da matéria dada através de educativos jogos de equipa.
Competências e conteúdos:
• Os muçulmanos na Península Ibérica;
• Analisar o processo muçulmano de ocupação da Península Ibérica, reconhecendo a existência de interações de conflito e de paz;
• Identificar aspetos da herança muçulmana na Península Ibérica;
• Identificar e reconhecer os conceitos: árabe, muçulmano, mouro, reconquista;
• Multiculturalidade e inclusão.

4 – RELACIONAR E COMPREENDER – 3º CICLO

Programa de atividades desenvolvidas de acordo com os objetivos indicados nos programas escolares em vigor para cada ano/ciclo.

Gil Vicente no Paço Real da Alcáçova
Visita orientada
Duração 1h30
Conhecido é o autor Gil Vicente e a sua emblemática obra “Auto da Barca do Inferno”. Mas antes desta peça ter sido criada, houve o “Auto da Visitação”, ou “Monólogo do Vaqueiro”! Foi encenada no Paço Real da Alcáçova, em 1502 e considerada como o episódio fundacional do teatro português.
Através de uma visita orientada, iremos descobrir a obra de Gil Vicente, reconstruir a sua ligação aos reis e à casa real e relação com o Castelo de São Jorge.
Competências e conteúdos:
• História do teatro português;
• Educação literária: interpretar e compreender o Auto de Gil Vicente;
• Expansão e mudança nos séculos XV e XVI.

À Descoberta do Castelo
Visita orientada
Duração 1h30
O Castelo de São Jorge que sobressai na malha urbana de Lisboa, é onde reunimos as histórias de um distante passado da cidade até aos nossos dias. Através de uma visita orientada, falamos de vários séculos de história e percorremos várias áreas do monumento. Uma verdadeira descoberta do castelo desde o início ao fim, que propõe descodificar os espaços, relacionando-os com as vivências de antigamente.
Competências e conteúdos:
• Das sociedades recolectoras às primeiras civilizações;
• A herança do mediterrâneo antigo;
• O mundo muçulmano em expansão;
• A sociedade europeia nos séculos IX A XII; A Península Ibérica nos séculos IX a XII.

A alcáçova de Lisboa – Cultura e quotidianos no Al-Andalus
Visita jogo
Duração 1h30
Como seria viver em Lisboa durante os séculos XI e XII? Como seria a vida doméstica dos seus moradores? Quais as suas preocupações quotidianas? Seriam as suas casas semelhantes às de hoje? De que se compunha a sua alimentação? Nesta atividade iremos viajar no tempo e vestir a pele de um habitante abastado, residente na Alcáçova de Lisboa, durante o período de ocupação muçulmana. Percorreremos as divisões das suas casas e analisaremos os objetos que faziam parte do seu dia-a-dia.
Competências e conteúdos:
• Identificar acontecimentos relacionados com as origens da religião islâmica e a sua expansão;
• Reconhecer a língua e a religião como fatores de unidade do mundo islâmico;
• Caracterizar o carácter cosmopolita, comercial e urbano do mundo islâmico medieval;
• Identificar/aplicar os conceitos: islamismo; islão; muçulmano;
• Corão ou Alcorão;
• Multiculturalidade e inclusão.

Lisboa entre a Dinastia Filipina e a Restauração
Visita orientada
Duração 1h30
No dia 1 de dezembro de 1640, um golpe de Estado em Lisboa proclamou a Restauração da Independência de Portugal. No dia seguinte, o contingente militar castelhano, aquartelado no Castelo de São Jorge, rendeu-se permitindo o triunfo da revolução. Porém, Lisboa e o seu Castelo tinham mudado muito durante os anos da União Ibérica.
Nesta visita iremos descobrir, a partir do Monumento, um pouco da Lisboa dos Filipes, bem como vários pontos-chave associados à Restauração.

Competências e conteúdos:
• O império português e a concorrência internacional
• Identificar fatores e manifestações de crise no império português a partir de meados do século XVI, destacando a ascensão de outros impérios coloniais (Holanda, França, Inglaterra);
• Compreender que a União Ibérica resultou da confluência de interesses dos grupos dominantes nos dois estados;
• Compreender que a Restauração resultou da divergência de interesses de uma parte significativa da sociedade portuguesa, relativamente às políticas imperiais espanholas;
• Restauração.

Lisboa antes do terramoto de 1755
Visita orientada
Duração 1h
Ao longo da sua história, Lisboa sofreu os efeitos de vários terramotos. O mais violento, no dia de Todos-os-Santos de 1755, destruiu uma importante parte da cidade e cifrou-se em vários milhares de mortos, vitimados pelo sismo, pelo maremoto ou pelos incêndios que se seguiram. Também o Castelo de São Jorge não ficou imune a esta catástrofe, que modificaria para sempre a paisagem de Lisboa.
Nesta visita, através de uma imagem de século XVI, iremos conhecer algumas transformações causadas pelo grande terramoto na cidade e no monumento e a ação de reconstrução liderada por Sebastião José de Carvalho e Melo, futuro Marquês de Pombal.
Competências e conteúdos:
• A cidade de Lisboa no século XVI e XVIII;
• Identificar fatores e manifestações de crise no império português a partir de meados do século XVI, destacando a ascensão de outros impérios coloniais (Holanda, França, Inglaterra);
• Concluir que a União Ibérica resultou da confluência de interesses dos grupos dominantes nos dois estados;
• Compreender que a Restauração resultou da divergência de interesses de uma parte significativa da sociedade portuguesa relativamente às políticas imperiais espanholas;
• Terramoto de 1755.

5 – PENSAR ALÉM MURALHAS – SECUNDÁRIO E PROFISSIONAL
Programa de atividades desenvolvidas de acordo com os objetivos indicados nos programas escolares em vigor para cada ano/ciclo.

Um Castelo, Uma Alcáçova, uma Cidade: à Descoberta da Cerca Velha de Lisboa
Visita percurso
Duração 2h
O Castelo de São Jorge é a face mais visível das velhas defesas medievais de Lisboa. Espalhadas pelo centro histórico, ainda hoje se podem vislumbrar algumas das antigas portas da cerca velha, troços da muralha e até torres!
Nesta visita percurso, vamos embarcar numa viagem pela cidade e descobrir um pouco mais da Lisboa medieval.
Competências e conteúdos:
• A romanização da Península Ibérica, um exemplo de integração de uma região periférica no universo imperial;
• A identidade civilizacional da Europa ocidental – Poderes e crenças, multiplicidade e unidade;
• Expansão e mudança nos séculos XV e XVI;
• O alargamento do conhecimento do mundo;
• Reconhecer o papel dos portugueses na abertura europeia ao mundo e a sua contribuição para a síntese renascentista;
• Demonstrar que as novas rotas de comércio intercontinental promoveram a circulação de pessoas e produtos, influenciando os hábitos culturais à escala global;

Entre Mouros e Cristãos: Conflito, Convivência, Miscigenação
Visita jogo
Duração 1h30
A partir de episódios conhecidos da História Medieval de Portugal, e focando a atenção nos conceitos recorrentes de Reconquista, Cruzada e Guerra Santa, abordaremos as relações ambivalentes, pautadas por momentos de disputa e de coexistência entre os crentes das religiões cristã e muçulmana. Através de um jogo e de um debate, discutiremos as questões da tolerância e dos conflitos religiosos, permitindo-lhes refletir sobre o mundo atual, com base em episódios do passado.
Competências e conteúdos:
• A identidade civilizacional da Europa ocidental – Poderes e crenças, multiplicidade e unidade;
• Uma geografia política diversificada: impérios, reinos, senhorios e comunas;
• A organização das crenças;
• O espaço português e a consolidação de um reino cristão ibérico;
• A fixação do território do termo da Reconquista ao estabelecimento e fortalecimento de fronteiras;
• Multiculturalidade e inclusão.

6 – DEBATER E PARTILHAR AS HISTÓRIAS – ENSINO SUPERIOR
Visitas por marcação e preparadas à medida do interesse do grupo, dentro das seguintes áreas de formação:
História, História da Arte, Turismo, Arqueologia, Conservação e Restauro, Património, Museologia, Gestão Cultural, Arquitetura.

7 – REDESCOBRIR O CASTELO – INTITUIÇÕES DE ENSINO SÉNIOR

Encontros com tempo
Visita orientada
Duração 1h30
O tempo parece passar ora rápido ora lento. Porque gostamos tanto de o medir? No centro desta visita-atividade está o tempo passado, presente e futuro. E o que terá mudado no Castelo? Cruzamos as memórias deste espaço tão antigo com as vivências de quem quiser partilhá-las connosco.

Para além do olhar
Visita oficina
Duração 1h30
O que se esconde para além do que vemos, ouvimos, e cheiramos? Há cheiros, pássaros, árvores e histórias antigas para descobrir. Através dos cinco sentidos, exploramos o património histórico e natural nos espaços dentro de portas e ao ar livre.

8 – CASTELO FEITO DE SENTIDOS
NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECÍFICAS – ENSINO INTEGRADO E ENSINO ESPECIAL
Requer reunião prévia entre os mediadores e responsáveis das instituições escolares nos meses de outubro e novembro.
Atividades adaptadas às características específicas do público visitante.

Visita com sentidos
Visita oficina
Número máximo de 10 participantes
Partimos do Castelo, do Núcleo Museológico e do imenso espaço ao ar livre para despertar os sentidos!
Tornar-nos atentos a nós e ao que nos rodeia. Como nos sentimos num sítio tão alto? Um Castelo tem cheiro, som ou movimento? Promovemos exercícios práticos centrados no papel do indivíduo e a sua importância no todo, trabalhamos a noção de grupo e descobrimos as dinâmicas da consciência corporal por entre técnicas de relaxamento e representação de conceitos.

Há Natureza nos Castelos?
Visita oficina
Número máximo de 10 participantes
Experimentamos o potencial do espaço ao ar livre do Castelo de São Jorge. Há árvores, arbustos e flores. Cheiros, texturas e volumes. Como se cruza um Castelo com a natureza envolvente? O que fazer para proteger o património cultural e natural? É tudo isso que vamos explorar!

O CASTELO NA ESCOLA
Se a Escola não vai ao Castelo, o Castelo vai à Escola!
Em tempos de recolhimento social, o Serviço Educativo prepara a sua oferta para que esta se aproxime das escolas que o rodeiam.
Através de recursos didáticos disponibilizados nas plataformas digitais ou, através da ida dos nossos mediadores às escolas, pretendemos estar ligados durante o ano de 2021/22.
• Castelo POP-UP (Pré-Escolar);
• No Tempo de D. Afonso Henriques (1º Ciclo);
• A Torre do Tombo, a escrita e a língua portuguesa (2º Ciclo).

CONDIÇÕES GERAIS E NORMAS DE SEGURANÇA 2021/22
• Todas as atividades necessitam de marcação;
• Promover e garantir o respeito pelo distanciamento físico;
• Reforçar as boas práticas de etiqueta respiratória e higienização das mãos;
• Assegurar a limpeza e desinfeção regular dos espaços a utilizar;
• Redução de riscos no atendimento ao público, nomeadamente pela utilização de máscara e/ou viseira;
• Reforço do número de mediadores responsáveis por cada atividade/grupo;
• Uso preferencial do exterior – jardim ou pátio – para a realização das atividades.

..